Resultado 19ª Premiação de Arquitetura IAB-MG – Centenário Raphael Hardy Filho – IAB-MG

Resultado 19ª Premiação de Arquitetura IAB-MG – Centenário Raphael Hardy Filho

01 de dezembro de 2017

Com o objetivo de divulgar e premiar a produção intelectual e profissional dos arquitetos e urbanistas dentro do Estado de Minas Gerais, e dando ênfase à criatividade, à valorização do projeto como ferramenta de tomada de decisão,  ao melhor aproveitamento dos recursos disponíveis na natureza, à viabilidade e ao compromisso do profissional e do futuro profissional com as necessidades e aspirações do homem contemporâneo, instalou-se no dia 28 de novembro de 2017, na sede do Instituto dos Arquitetos do Brasil, seção Minas Gerais, a Comissão Julgadora formada pela arquiteta  e urbanista Maria Edwiges Sobreira Leal e pelos arquitetos e urbanistas Danilo Batista e Sylvio Emrich de Podestá, onde se fez e concluiu a avaliação dos trabalhos a seguir apresentada.

A Comissão destaca a qualidade das proposições apresentadas, que demonstraram empenho não só pela pertinência contextual e criatividade, mas também pela participação nesta ação promovida anualmente pelo IAB/MG, tão importante e representativa para a sociedade como um todo.

Ciente da importância de todo este processo, convoca todos arquitetos a uma maior participação na Premiação e em outras ações promovidas pelo IAB e suas irmãs, de forma e definitivamente a se apresentar a sociedade, que indubitavelmente necessita de seus trabalhos e, eventualmente, desconhece suas potencialidades e é, através da informação fornecida pelas instituições a eles ligadas, que seremos verdadeiramente reconhecidos.

A Comissão Julgadora,

Arquiteta e urbanista Maria Edwiges Sobreira Leal

Arquiteto e urbanista Danilo Batista

Arquiteto e urbanista Sylvio Emrich de Podestá

Confira abaixo os trabalhos premiados, clique na imagem para abrir a prancha do projeto.


4.1. – CATEGORIA OBRA CONSTRUÍDA

4.1.c – Edifícios não residenciais para fins comerciais e, ou, de serviços:

Prêmio

ATELIÊ WALS 

Atelie Walls

Autores: Escritório GPA&A, Arquiteto Gustavo Penna

Membros da equipe: Norberto Bambozzi, Laura Penna, Letícia Carneiro, Oded Stahl, Alice leite Flores, Fernanda Tolentino, Naiara Costa, Patrícia Gonçalves, Henrique Neves, Gabriel de Souza, Raquel de Resende, Eduardo Magalhães, Paula Sallum, Julia Lins.

Estagiários: Jordana faria, Barbara Novais, Sarah Fernandes, Raquel Moura Gestão e Planejamento: Rísia Botrel, Isabela Tolentino, Taimara Araújo

Localização:  Bairro Olhos D’Água, Belo Horizonte, MG.

Pela excelência volumétrica, espacial e integração com a paisagem, ambiência e detalhes com uso de referências e materiais diversos como o barril, metal, concreto, garrafas, rolhas, cerveja, e até as bolhas, que ampliam a possibilidade do uso não só físico mas também sensorial, tendo a cerveja como protagonista. O Porte-cochère, interpretação material explodida do barril, permite uma vista impactante da paisagem e do ambiente abaixo, além da personalização do local.


4.1.d – Edifícios para fins religiosos, atividades sociais, institucionais, culturais e educativas:

Prêmio

ESCOLA CASA FUNDAMENTAL – o Júri recolocou este projeto inscrito na categoria 4.1.e – Arquitetura de Interiores, para a categoria 4.1.d, por entender que a obra se enquadra melhor nesta categoria.

Escola da Casa Fundamental

Autores: Marcos Mascarenhas Franchini e Pedro Haruf Vilarino Espindola e Gabriel de Sousa Castro

A proposta de adaptação de um galpão existente em uma escola de educação infantil e ensino fundamental propõe espaços flexíveis, fluidos, que promovem o convívio e as possibilidades de experimentações pedagógicas procuradas, apesar da sua pequena estrutura.

A integração com o bairro também deve ser destacada e ela é feita de modo visual e físico, a partir de grandes aberturas.

As questões bioclimáticas e estruturais também estão resolvidas dentro da filosofia geral adotada.


4.1.e – Arquitetura de Interiores:

Menção Honrosa

CASA DO VALE – o Júri recolocou este projeto inscrito na categoria 4.1.a – Habitação Unifamiliar e Multifamiliar, para a categoria 4.1.e, por entender que a obra se enquadra melhor nesta categoria.

Casa do Vale

Autor: David Guerra

Membros da equipe: JEFFERSON GURGEL, NÍNIVE RESENDE, BERNARDO HAUCK

Localização: Condomínio Vale dos Cristais, Nova Lima, MG.

Espaços internos com possibilidades de individualização e/ou fluidez, e amplos, com muita luz natural e ventilações cruzadas, respondendo ao desejo dos proprietários, podendo a família usufruir destes espaços hora com privacidade, ora integrados. O uso da madeira, inclusive em alguns tetos, esquenta e hierarquiza espaços. O pátio interno, decks e piscina integram o interior com a paisagem do local.


4.1.g – Conservação, reutilização, requalificação e valorização do patrimônio Construído:

Menção Honrosa

REVITALIZAÇÃO DA FAZENDA DA TAPERA

fazenda tapera

Autor: Moema Falci Loures – Studio IMA

Principais colaboradores: Mariane Unanue; Nathália Reis; Mônica Olender; Gustavo Abdalla e Jorge Arbach.

Localização:  Bairro Teresina, Juiz de Fora, MG.

Cuidado com o Patrimônio, bom agenciamento dos anexos e das áreas adjacentes (caminhos e pátios, paisagismo). Espacialidade interna preservada bem como os materiais originais; inclusão de novo forro, permitindo melhor ventilação auxiliando a preservação e o novo uso. A diferenciação da pintura do frontão, o gradil em tela e o azul e branco da pintura das esquadrias e paredes poderiam ser melhor estudados.


4.1.h – Projetos especiais (museografia, cenografia, luminotecnia, design de interiores e de acessibilidade): 

Prêmio

ESPAÇO GUAJA SAPUCAÍ 

Guaja

Autores: Marcos Franchini, Gabriel Nardelli, Lucas Durães, Pedro Haruf e Sarah Matos.

Localização:  Rua Sapucaí, Bairro Floresta, Belo Horizonte, MG.

Com a proposta de um laboratório efêmero, que funcionasse durante o período da Mostra Casa Cor Minas, onde conhecimentos e construções de marcenaria foram efetivados, workshops, experiências colaborativas, exibições de filmes e uma série de conversas intitulada Arquitetura para não arquitetos, o espaço Guaja cumpriu brilhantemente a que se propôs, num espaço onde o passado do edifício e os espaços de mostras e palestras iam se compondo com a realização de novos protótipos de cadeiras e mesas, num rico resultado plástico e operacional.  Diversos assuntos foram ali brilhantemente acolhidos como a relação das pessoas com a paisagem urbana, mobilidade urbana, memória  e preservação, arte e modos de morar.


4.1.h – Projetos especiais (museografia, cenografia, luminotecnia, design de interiores e de acessibilidade): 

Prêmio

UNIDADE DE ACOLHIMENTO PORTÁTIL – A CAMA DO MORADOR DE RUA 

UAP

Autor: João Antônio Valle Diniz (arquiteto coordenador), Jessica Neves (arquiteta colaboradora) e José Napoleão (desenvolvimento industrial)

Localização:  Diversas

Por entender que o objeto apresentado é produto de design, de produto e urbano, ele também é premiado nesta categoria mesmo não sendo nominado no título. Seu caráter temporário e emergencial sugere uma criação de uma nova categoria nesta premiação, o que fica como sugestão. Ao mesmo tempo que responde a uma demanda crescente, a aposta na sua temporalidade reduzida é crença que o seu não uso futuro anuncia resposta ao problema que agora procura solucionar.


4.2 – CATEGORIA PLANOS E PROJETOS ELABORADOS

4.2.d – Edifícios para fins religiosos, atividades sociais, institucionais, culturais e educativas, lazer e entretenimento:

Menção Honrosa

DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DE VARGINHA 

delegacia de Varginha

Autores: Mateus Moreira Pontes, Isabela Ângela Ferreira Guimarães, Rodolfo Magno Provetti

Localização:  Av. Rui Barbosa, Varginha, MG.

A adequação de três edifícios desnivelados entre si à ABNT NBR 9050:2015, que diz respeito à acessibilidade, é aqui resolvida com a inclusão de uma nova pele que protege as novas circulações horizontais e verticais, interrompendo a monótona repetição dos três edifícios existente e dando novo caráter ao conjunto. Ventilação e iluminação naturais, novas ambiências e redução da necessidade de climatização também foram incluídas na solução.


4.2.f – Urbanismo e Paisagismo:

Prêmio

PARQUE CENTRAL E SUL DE ÁGUAS CLARAS 

Sidonio

Autor: Lucia Porto – Sidonio Porto Arquitetos Associados.

Membros da equipe: Sidney Linhares, Sidonio Porto, Marcio Porto, Larissa Anibal, Tomaz Cabrera, Tânia Rodriguez, Gabriel Farias, Daniele Purper, Elizabeth Cohen, Elaine Biella, Pedro Badra e Flávio D’Alambert

Localização: Águas Claras, Brasília, DF.

Solução consistente para um grande vazio urbano vizinho a alta concentração de moradias, serviços, ciclovias, vias de pedestre e equipamentos de transporte de massa como o metrô. O projeto dá continuidade ao Parque Ecológico vizinho, integra as quadras, quase todas já ocupadas densamente, através de equipamentos, novos caminhos e vegetação coerente e estabelece o que o autor nominou como “continuum paisagístico”, facilitando a apropriação geral pelo usuário.


4.2.g – Conservação, reutilização, requalificação e valorização do patrimônio

Menção Honrosa

SEDE FZB – FUNDAÇÃO ZOOBOTÂNICA 

Sede FZB

Autor: Horizontes Arquitetura

Membros da Equipe – Autores: Luiz Felipe de Farias, Marcelo Palhares Santiago, Gabriel Velloso da Rocha Pereira. Colaboradores: Camila Alberoni, Carolina Éboli, Debora Misson, Fernanda Boratto, Isabela Ziviani, Larissa Nunes, Lorena Coscarelli, Rafael Yanni, Robson de Araújo Filho, Silvia Guastaferro e Waleska Rabelo.

Estagiários: Constanza Cherulli, Marina Zambelli, Maria Fernanda Abras, Natália Ribeiro, Nathália Basílio e Renata Ribeiro. Crédito das imagens 3d: Lucas Silva. Crédito do painel artístico: João César de Melo

Localização:  Pampulha, Belo Horizonte, MG.

A proposta de restaurar o antigo Golf Club de Belo Horizonte, projeto original de Oscar Niemeyer, por si só torna importante esta ação. Junte a ela, volumetria original e materiais além do resgate de antigo projeto de Burle Marx para o local e adaptação ao novo traçado de caminhos e ruas vai compor dignamente o conjunto moderno da Pampulha.


4.5 – TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO – TFG

Prêmio

MUSEU-ESCOLA DO CAFÉ DE PATROCÍNIO. RESTAURAÇÃO ENOVO USO DA ANTIGA CADEIA PÚBLICA 

Museu escola café

Autor: Rafael Sânzio Nunes Fonseca

Orientador: Lizandro Edmundo Cordeiro de Melo Franco

Localização:  Bairro São Vicente, Patrocínio, MG.

Clareza na pesquisa, conceituação e apresentação gráfica. Espaços e fluxo gerados, relação da nova construção com a antiga, acessibilidade e contraste necessário entre o novo e o velho se juntam a nova praça, eliminando muros e cercas, permeabilizando acessos e ampliando a visibilidade da restaurada “cadeia”. O uso bloqueado do porão foi retomado com ventilações sob o piso principal, contribuindo para o conforto ambiental.


Prêmio

ESPAÇOS RESIDUAIS NO TECIDO URBANO – MASTER PLAN – REINTEGRAÇÃO DA REGIÃO NOROESTE E OESTE 1 

Espaços Residuais

Autor: FELIPE CUNHA RABELO

Orientador: JOSÉ EUZÉBIO

Localização:  Belo Horizonte, MG.

Tema atualmente recorrente e de grande importância para a cidade, reintegração de regiões através de vazios ou de revitalizações ou apropriações de equipamentos subutilizados é fundamental para a compreensão da cidade como um todo e a potencialização destas áreas, com estudos de viabilidade econômica. Inclusive, é aqui demonstrada a capacidade de conceituação do autor e domínio de tema muito complexo. O conceito de parque linear como elemento de integração, construções em projeção mínima, inclusão de culturas locais (os novos usos do cavalo e carroça, por exemplo, por isso as baias) são estratégias apropriadas, ficando aqui apenas uma ressalva quando a solução para as habitações modulares em uma grande volumetria, o que não condiz com o próprio conceito lançado como premissa.


Desenvolvidos por: Sem Fronteiras